Passaram por aqui ... ;*

quarta-feira, maio 23, 2012

Chuva, frio e amigos que moram longe.

     Outono/Inverno chove pra caramba a cidade fica um caos, estudar/trabalhar sob um frio é um massacre (principalmente se for pela manhã u.u) nessa época as pessoas engordam, a preguiça aumenta e todo mundo fica exageradamente CARENTE, mas ainda assim eu gosto de chuva  =).
      Não que eu goste de engordar, nem de parecer preguiçosa muito menos de parecer carente, porém é uma parte do ano em que as simplicidades aparecem. Filme com os amigos (ou com o namorado), carona no guarda-chuva rs', rir como única solução dos efeitos das chuvas e ventos impiedosos que detonam o seu dia (tá, foi meio dramático mas, ok!).  As conversas são mais calmas, o tempo frio parece longo, distante, dulcificador.  O frio é solitário como cada problema que aparece pra gente, ainda que interligados uns aos outros só se pode soluciona-lós um por vez, o frio meche com todos os sentidos... com a saudade.
      Em uma dessas noites em que o mundo se acabava em chuva (ok! mais um drama ;x) entre funções quadráticas, ímpares, pares e etc, me peguei pensando nas pessoas que moravam longe de mim e o quanto ainda que distantes elas me fazem bem. Admito que seja meio ingrata não costumo ligar, nem mandar cartas (gosto de mandar cartas ou gostava até um tempo atrás, não sei) mas ainda assim lembro das pessoas como se as observasse todos os dias, guardo o sorriso de cada uma pra mim de uma forma sincera ainda que egoísta.
     Mesmo me esforçando pouco para estar "perto" de quem está longe, eu faço o máximo pra eles perceberem que eu tenho um carinho tão grande que as vezes nem cabe em mim. Eu intensifico amizades com o passar do tempo nunca tive uma amizade que começou de um jeito e continua do mesmo, minhas amizades se elevam, se enchem de 'mi mi mis', intimidades e verdades incontestáveis cada um diferente e particula r.Isso tudo me acalma e conforta saber que tenho verdades incondicionais todo instante.
      Começou a chover novamente... o meu café está aqui: quente e amargo. Estou lembrando de alguns amigos que estão longe e outros que mesmo perto estão longe (confuso, porém real). Vou sentir a chuva, talvez só olhe pela janela e provavelmente cante e venha a sorrir entre as frases que me farão lembrar de cada um dos meus tão queridos ainda que remotos amigos que a chuva da vida me concedeu.


                     Bianca Reis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Com a palavra visitantes de um vagalume e suas luzes ...